Política

Romero põe nome à disposição se Cássio não for candidato e diz que não vai seguir cartilha pronta

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB) disse, nesta quarta-feira (6), que não vai cumprir cartilha preparada previamente e quer o debate para escolha do candidato ao Governo do Estado em 2018. 


Romero concedeu entrevista ao Correio Debate nesta quarta-feira. Ele entende que as oposições têm o seu nome, o de Luciano Cartaxo (PSD), José Maranhão (PMDB), Cássio Cunha Lima (PSDB). Mas da mesma forma que ele não quer impor o seu nome, também não aceita imposição. 


"Quanto mais nomes, mais opções para a população e para a oposição. Agora nós temos que definir isso no próximo ano, não pode ser com cartilha pronta, preparada previamente, dizer tá aqui, cumpra essa regra, ninguém vai cumprir ou pelo menos eu não me disponho a cumprir essa regra", disse Romero. 


Romero disse que o PSDB agiu equivocadamente nas eleições municipais, em João Pessoa, porque poderia ter apresentado uma candidatura e fortalecido o partido na Capital paraibana. 


Romero disse que, em fevereiro de 2018, não havendo predisposição para o senador Cássio disputar o Governo do Estado, seu nome está à disposição. "OU eu estou errado em defender, fortalecer o partido do qual eu faço parte, ou eu vou defender o dos outros?", argumentou Romero.  


Romero avaliou ainda que tem um modelo de administração em Campina Grande que pode servir para toda a Paraíba, e acredita que o critério para escolha do candidato da oposição não se resume a pesquisas, mas passa pelas obras. "Nem sempre quem tem a melhor largada tem a melhor chegada. Nem sempre a pesquisa quantitativa é a que faz a melhor avaliação", ponderou Romero.