Mundo

Mulher é investigada após tatuar gato e postar fotos

Uma digital influencer ucraniana está sendo investigada por tortura animal após postar no Instagram fotos do gato dela, da raça Sphynx (também chamado de gato-pelado canadense) sendo tatuado.


Nas fotos é possível ver o animal desacordado e segurado pelo pescoço durante o procedimento. Em poucas horas, uma enxurrada de comentários apontando a suposta tortura surgiram.


“Ele não é um brinquedo. É um ser vivo. Não é como se a dona tivesse feito uma tatuagem no próprio peito”, afirmou um dos seguidores. Em resposta, a mulher explicou que o gato estava sedado durante atendimento.


“Eu chequei com um veterinário antes de fazer a tatuagem e ele estava presente o tempo todo. Pode parecer crueldade para você, mas ele está bem. A real crueldade seria se eu o castrasse, por exemplo”, afirmou Elena Ivanickaya.


A justificativa, porém, não convenceu autoridades e membros de defesa animal. O caso foi levado à polícia e vai ser investigado a fundo. “Se comprovarmos que ele foi torturado, vamos indiciá-la criminalmente”, afirmou a porta voz da polícia ucraniana, Natalia Chovpylo, em entrevista divulgada no portal britânico The Sun.


Com 10,5 mil seguidores nas redes sociais, Elena apagou as fotos da tortura animal, mas pareceu se divertir com a repercussão que o caso teve na mídia. Em uma série de posts, ela divulga as reportagens em texto e vídeo acerca do caso, mesmo que nelas a mulher esteja taxada como agressora.