Brasil

Luciano Huck propõe ´ocupação´ da Câmara e Senado pelo voto

O apresentador de TV Luciano Huck tem feito incursões pela seara política com gradativa intensidade, na perspectiva de converter em possibilidade real o que, num primeiro momento, resvalou para o anedotário nacional: disputar e/ou influenciar a sucessão presidencial.


Dias atrás, ele publicou um artigo no jornal Folha de São Paulo. Vale a pena ler trechos desse texto. É o que segue.


“Tenho pensado, lido, refletido e ouvido muita gente sobre os melhores caminhos para tirar o Brasil desta triste situação em que nos encontramos. Os caminhos divergem, mas nunca vi tanta gente genuinamente empenhada em contribuir e se envolver.


“Como já me comprometi publicamente antes, quero e vou participar deste processo de renovação política no Brasil. Reafirmo que continuo achando que, de onde estou, fora do dia a dia da política, minha contribuição pode ser mais efetiva e relevante.


“Acredito que esta fratura exposta que comprometeu, expôs e derreteu a estrutura política nacional arrastou a todos nós – sem discriminar crenças, ideologias ou situação social – para uma crise econômica e caos social sem precedentes.


“Mas também sinto que ela pode ser uma das maiores oportunidades para abrir um novo ciclo na história da República, ressignificar nossas instituições e, principalmente, reorientar os valores e princípios daqueles que querem servir.


“Assim, para que no futuro não tenhamos mais os assustadores vácuos de liderança que hoje estamos vivenciando, este deserto de opções relevantes e a escassez de projetos e ideias oxigenadas e possíveis dentro das estruturas formais do poder, para fazer do Brasil um país mais justo, entendo que o melhor caminho será ´ocupar´, por meio do voto, o Legislativo brasileiro com cérebros, sinapses, ideias e ideais de primeira qualidade.


“O dia em que a Câmara e o Senado forem compostos, em sua maioria, por pessoas íntegras, éticas, genuinamente bem-intencionadas e comprometidas com o bem comum, independentemente das suas ideologias, as soluções para as questões do país florescerão. O debate será de qualidade, as ideias idem.


“Essa ´ocupação´, porém, não será do dia para a noite. Será um longo e árduo processo, que pode até ser retardado, refreado pelos atuais detentores do poder político – que hoje, salvo exceções, legislam em causa ou defesa própria.


Mas é um processo irreversível, simplesmente porque o eleitor há muito não se sente representado por grande parte da classe política que está aí. Como já disse, há exceções, claro, mas são a minoria absoluta”.