Política

Deputado da tatuagem será processado por foto de adolescente seminua

Wladimir Costa (SD-PA), mais conhecido como o deputado da tatuagem, se envolveu em mais uma polêmica na tarde desta quarta-feira (30). Durante uma conversa no grupo de WhatsApp da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, Wladimir encaminhou a imagem de uma adolescente seminua e a identificou como a filha da deputada Maria do Rosário (PT-RS).


No início do ano, a filha da deputada petista foi vítima de crimes virtuais e circularam pelas redes sociais imagens como se fossem da adolescente nua. O deputado da tatuagem usou as fotos manipuladas no grupo de WhatsApp de maneira pejorativa.


Os petistas Jorge Solla (PT-BA) e Wadih Damous (PT-RJ) vão protocolar uma denúncia contra Wladimir e levá-lo para o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. A assessoria de imprensa de Damous afirmou que o deputado vai ajudar na representação.


— Ele [Wadih Damous] vai colaborar com a representação que o Solla vai fazer, mas não é o dono da representação. Ainda não tenho datas, mas eles já estão elaborando a peça. Não posso precisar quanto tempo demora, porque depende de levantar elementos, depende do jurídico, e pode demorar alguns dias. O que posso adiantar é que deve assinar a representação.


Procurada pelo R7, a assessoria de imprensa de Wladimir Costa confirmou a informação, mas disse que não vai se manifestar sobre o assunto. Os representantes de Maria do Rosário também preferiram não se pronunciar sobre o caso. Já a Comissão de Ética disse que ainda não recebeu a representação.


Polêmicas de Wladimir Costa:


No fim de julho deste ano, o deputado Wladimir Costa tatuou o nome do presidente Michel Temer (PMDB) no ombro. O deputado afirmou ter pago R$ 1.200 pelo desenho, porém o tatuador revelou que se tratava de uma tatuagem de henna. Pouco tempo depois, ele declarou que o desenho havia “sumido”. Além disso, o deputado foi um dos campeões de liberação de emendas em julho deste ano e foi flagrado pedindo “nudes” durante votação.